Entenda o PIX , novo meio de pagamentos instantâneos do BC

País ganha mais uma alternativa para efetuar transações. Sistema de pagamentos será lançado oficialmente em 16 de novembro

batizado de Pix, o novo sistema de pagamentos instantâneos, estabelecido pelo Banco Central (BC), entra em operação no Brasil no próximo dia 16 de novembro.

A proposta é baixar custos e aumentar a velocidade das operações. O serviço estará disponível 24 horas por dia, sete dias por semana e em todos os dias no ano.

Na prática, o país ganha mais uma alternativa para efetuar transações, além dos modelos tradicionais já existentes, como TED, DOC, boleto, cheque e cartões.

Para usar o Pix, de acordo com informações do Banco Central, será preciso que o pagador e o recebedor tenham conta em um banco ou em uma fintech.

Além disso, a liquidação será imediata, ou seja, o recebedor terá em poucos segundos os recursos disponíveis em sua conta.

A economista Yolanda Fordelone, do canal Econoweek, ressalta que a tecnologia do BC permitirá transações baratas (não há cobranças) e rápidas, em até 10 segundos.

“Hoje, muita gente paga para fazer transferências, como de um banco para outro. E o dinheiro só cai na mesma hora se a transação for entre contas do mesmo banco”, diz.

Chave Pix

Ela explica também que um terceiro ponto positivo – além da velocidade e do custo zero – é a simplicidade ao se transferir dinheiro para contas de outras pessoas.

Isso porque a tecnologia permite o cadastro da chave Pix, que poderá ser o número do celular; CPF ou CNPJ; e-mail; ou, ainda, um número aleatório.

Dessa maneira, a prática de informar número da instituição, agência e conta para receber um pagamento não será mais necessária com o Pix – basta dizer qual a chave.

Essa chave será sempre informada pelo recebedor. Em seguida, o pagador utilizará o aplicativo da sua instituição financeira para inserir a chave e realizar a transferência.

“Tudo que é novo precisa ser entendido antes de ser usado. Assim, a pessoa deve ter que tomar um cuidado redobrado sobre esses dados”, explica Yolanda Fordelone.

A partir de 5 de outubro, as instituições e os usuários terão a oportunidade de se familiarizar com todas as funcionalidades para a gestão das chaves

Contas de luz

O BC anunciou no último dia 20 uma parceria com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que vai permitir a possibilidade de pagar a conta de luz com o Pix.

Para o BC, o acordo facilita também as atividades das distribuidoras de energia. O Pix é mais rápido e barato para essas empresas receberem pela prestação do serviço.

Fonte: Metropoles