Vigia de Preço adiciona recurso de comparação de frete e cashback

O Vigia de Preço, plataforma de análise de preços do e-commerce, anuncia uma atualização dos seus recursos. Agora, os usuários poderão comparar, além do preço do produto, o prazo de entrega, o valor do frete e do cashback disponível em lojas online

Vigia de Preço, plataforma de análise de preços do e-commerce, anuncia uma atualização dos seus recursos. Agora, os usuários poderão comparar, além do preço do produto, o prazo de entrega, o valor do frete e do cashback disponível em lojas online. Com as novas funcionalidades, a empresa espera crescer de 15% a 20% em faturamento neste ano.

“Com a pandemia, muitas lojas entraram em diversos marketplaces, que oferecem prazos e valores de fretes diferentes. Vimos a necessidade de oferecer também essa comparação para os usuários já que, às vezes, o frete pode alterar muito o valor total da compra”, afirma o CEO da plataforma, André Ferreira.

A ferramenta, gratuita para usuários, monetiza com uma comissão das vendas. De acordo com o CCO do Vigia de Preço, Rodrigo Azevedo, a porcentagem varia dependendo da categoria do produto. “Em média, recebemos de 2 a 5% de comissão. Mas, em categorias como vestuário, por exemplo, isso pode chegar a 10%”, diz Azevedo.

Em relação ao cashback, a ferramenta já tem disponível o sistema da Ame Digital que pertence à B2W – dona da Americanas, Submarino e Shoptime. Os executivos adiantaram que, até a Black Friday, o programa de recompensa do Magazine Luiza também estará no site.

O Vigia de Preço funciona como uma extensão no Google Chrome e conta com aplicativo para Android e iOS. A ferramenta mostra o histórico de preço e as variações ao longo do tempo, permitindo ao usuário criar um login e personalizar alertas de valor. A plataforma oferece ainda acesso aos cupons de desconto disponíveis nas lojas.

Lançado em 2016, o Vigia de Preço monitora mais de 20 milhões de ofertas em mais de 1.400 sites. Atualmente, a ferramenta contabiliza em torno de meio milhão de usuários ativos no site por mês.

Fonte: Isto é Dinheiro